Wednesday, February 11, 2009

O Marlon Brando de Santa Comba Dão... ou o Conta-me como Não Foi!

Genial!! Poucas notícias me fizeram "delirar" como esta do 24 Horas de hoje. Não sei muito bem como, o Fernando Rosas parece que tem um sentido de humor que se aproxima do meu. Isto não deixa de ser estranho... Mas adiante. Por acaso tive a sorte (ou o azar) de ver partes da nova série da SIC, "A Vida Privada de Salazar" e, tal como estava à espera, é tudo muito mau. Não querendo entrar em 'detalhes' como por exemplo, às vezes o som ultrapassar nitidamente o movimento dos lábios dos actores, estava eu a olhar para aquilo e só me perguntava porque é que alguém se lembrou de fazer do Salazar um gigolô (assim mesmo em brasileiro)!! Vem o Fernando Rosas e diz que acha que a série é, nada mais nada menos que "um exercício patético de formação do antigo ditador numa imagem de Marlon Brando de Santa Comba Dão”!! Eu não teria pensado melhor. (Ressalve-se um 'quem dera ao Diogo Morgado parecer-se ligeiramente com o Marlon Brando'). E continua, comparando "A Vida Privada de Salazar" ao "Conta-me Como Foi" da RTP 1 (que ele gosta e eu também) "Este é um conta-me como não foi”! Muito bom. Fernando Rosas na caderneta já!
Logo em seguida vem a Felícia Cabrita puxar a brasa à sua sardinha no registo "as personagens não têm densidade", querendo dizer "comprem o meu livro 'Mulheres de Salazar' e leiam (por acaso podem lê-lo gratuitamente aqui) porque é obviamente muito melhor do que a série". Também não era preciso muito... Como dizia um cromo que uma vez conheci: "Ao mais alto nível".

Agora a cereja em cima do bolo. Escreve o 24 Horas (por entre gralhas e erros ortográficos): "Jaime Nogueira Pinto, defensor de Salazar no programa “Os Grandes Portugueses”, da RTP 1, é mais brando" (menos marlon, portanto) e elogia "os cenários, o guarda-roupa e as actrizes que encarnam as mulheres de Salazar, que são lindas". Bem, já não bastava o senhor ser defensor do Salazar, ainda vem acrescentar o elogiozinho bacoco! A Soraia Chaves despe-se pela 74ªvez para os portugueses... Uau!! Aplausos! O cinto de ligas também deve ser o mesmo do Call Girl (ou era a Arte de Roubar, essa obra-prima do cinema português falado em inglês?) Não há paciência. Espero que a Cláudia Vieira não tenha o mesmo destino. É que eu até achei graça à miúda naquela fotonovela fantástica da Silvia Rizzo, "Afinal havia outra"... Olha, esse também era um bom título ali para a vida privada do Salazar...

2 comments:

AF said...

Duvido seriamente do rigor historico de tudo aquilo (que deve ser nulo) mas como produto de entretenimento já se viu pior, muito pior na televisão portuguesa :)

Anonymous said...

adorei este post, mas gostar de uma fotonovela feita pela silvia rizzo não te abona nada cara Elle.